O Projeto

A Caravana pelo direito à habitação surge da urgência em pensarmos coletivamente e de forma participada um direito essencial que pouca representação política tem tido: promover a participação e inclusão na discussão política e social para que se efetive o direito à cidade, à habitação e aos bens essenciais.

Saiba mais sobre o projeto!

Slogan_1

Anúncios

CARTA ABERTA EM DEFESA DA DIGNIDADE HUMANA E DO DIREITO À HABITAÇÃO

0995b-torre2b2

Imaginem-se a viver na completa escuridão. Imaginem que, em vossa casa, de onde podem avistar uma enorme pilha de lixo, não seria possível conservar alimentos, ver televisão ou carregar o telefone. Imaginem-se ainda no pátio dessa mesma casa, onde há muitos meses já não há luz ou água, a dar banho aos vossos filhos na rua. Imaginem o que seria se eles não tivessem condições de prosseguir os estudos ou que vocês não pudessem dizer sequer onde moram por medo de serem imediatamente discriminados. E imaginem se um dia, sem qualquer notificação ou aviso prévio, essa vossa casa, vosso único tecto, fosse demolida sem que nenhuma solução alternativa vos fosse apresentada. Convidamos-vos a pensar o que seria viver na nossa pele, mesmo que por um só dia… e a imaginar o que seria a sensação de serem tratados como dejetos a serem despejados.

e8a16-torre2bsem2bluz
Nós, moradores de alguns bairros autoconstruídos e de realojamento da Área Metropolitana de Lisboa, decidimos dirigir-vos esta carta aberta na tentativa de denunciar e garantir que estas e outras situações semelhantes deixem de acontecer. Tomamos a liberdade de vos escrever uma vez que até hoje nem as Câmaras Municipais nem o Estado central, ambos com competências na área da habitação, têm sido capazes de proporcionar soluções habitacionais condignas às nossas comunidades. Somos famílias inteiras confinadas, discriminadas diariamente, dentro e fora das nossas casas, e sem quaisquer condições dignas de vida, incluindo água, luz ou saneamento. Além de tudo, não somos tidos em consideração para nenhuma das resoluções fundamentais que tocam as nossas vidas e existência, em suma, não somos tratados como humanos. Para nós, o direito a uma habitação condigna parece não passar de um sonho.
Apesar de tudo, tentamos viver o dia-a-dia com dignidade, seja através do trabalho duro que aceitamos como ganha-pão, como por meio da vivência comum, solidária e de entreajuda construída ao longo do tempo e dos anos de luta. A realidade é que vivemos há décadas ora nestes bairros autoconstruídos onde investimos de uso social espaços até então vazios e abandonados, ora nos bairros de realojamento onde fazemos o possível para sobreviver coletivamente. É aqui que convivemos, celebramos nascimentos e casamentos e nos unimos nas perdas. Porém, tal como em muitos outros bairros, de norte a sul do país, enfrentamos situações absolutamente dramáticas que urge resolver.



COMO CHEGAR AOS BAIRROS?

DIA 8 | Bairro 6 de Maio (Amadora)

Transporte público: 
Linha de Sintra até Sta. Cruz – Damaia (o bairro fica à 5 minutos à pé da estação em direção à fábrica Nutricafés)
Autocarros: 711, 746, 767 (Paragem “Damaia – R. D. Francisco Almeida” ao lado do Centro Social 6 de Maio)

TEMOS UM AUTOCARRO:
14:00 Partida de Lisboa (Praça de Espanha) —-X—
–X- Passagem por vários bairros para apanhar moradores —X–
16:30 PRACA DE ESPANHA para apanhar todas as pessoas de Lisboa
REGRESSO: saída do bairro às 22 horas (ou antes) —X—-X-
–X—-X– chegada na Praça de Espanha máximo à meia-noite.

Veja aqui o evento no facebook!


DIA 9 | Bairro da Jamaika (Seixal)

Transporte público:
Linha de Comboio “Roma-Areeiro – Setúbal” até Fogueteiro (o bairro fica à 10 minutos à pé na Travessa Vale de Chicharros)

TEMOS UM AUTOCARRO:
14:00 Partida de Lisboa (Praça de Espanha) —-X—
–X- Passagem por vários bairros para apanhar moradores —X–
15:30 PRACA DE ESPANHA para apanhar todas as pessoas de Lisboa
REGRESSO: saída do bairro às 22 horas (ou antes) —X—-X-
–X—-X– chegada na Praça de Espanha máximo à meia-noite.

Veja aqui o evento no facebook!


DIA 10 | Bairro da Torre (Loures)

Transporte público:
De autocarro (Rodoviária de Lisboa) à partir de Lisboa até a paragem Camarate (Q.ta Sta Rosa) – Carreira 312 e 313
http://www.rodoviariadelisboa.pt/horarios?carreira=1181#tab0
http://www.rodoviariadelisboa.pt/horarios?carreira=1811#tab0

TEMOS UM AUTOCARRO:
12:00 Partida de Lisboa (Praça de Espanha) —-X—
–X- Passagem por vários bairros para apanhar moradores —X–
13:30 PRACA DE ESPANHA para apanhar todas as pessoas de Lisboa
REGRESSO: saída do bairro às 21 horas (ou antes) —X—-X-
–X—-X– chegada na Praça de Espanha máximo à meia-noite.

Veja aqui o evento no facebook!


Já sabes, se te queres juntar à caravana e precisas de boleia, aparece nos hórarios descritos em cima na Praça de Espanha (Local de encontro: Estacionamento de camionetas)!

Também podes ligar-nos!
Contactos da Caravana:
918827824
962349092
934373425

#nossacasanossobairronossaluta

Jantar Benefit e lançamento da Caravana pelo direito à habitação

Foram muitas as ideias, momentos e partilhas durante o jantar benefit pelo direito à habitação  no dia 26 de Agosto, na Associação Disgraça.

O encontro começou cedo, entre a azáfama dos preparativos e as conversas que se foram construindo e crescendo à medida que ia chegando mais gente. Começamos por montar a exposição de fotografia, ideia que surgiu ainda nos bairros onde as Assembleias de Moradores têm mostrado o poder da força coletiva.  Porque só acreditamos quando vemos, partilhámos, assim, os depoimentos de quem fica mesmo depois das filmagens. Dos que têm lutado e resistido diariamente por uma habitação condigna e pelo direito à cidade, só nos resta conhecermo-nos, organizarmo-nos e criar alternativas.  Quisemos sobretudo recolher opiniões e propostas sobre o que é valorizado em cada bairro; o que rejeitamos e queremos que mude; como queremos e o que sonhamos para os nossos bairros e casas; reforçar as redes de solidariedade e promover a participação de todos os habitantes nas propostas para a agenda política e na discussão pública.

 

Continue reading “Jantar Benefit e lançamento da Caravana pelo direito à habitação”

Jantar benefit para a caravana

No nosso jantar benefit  pela Caravana pelo Direito à Habitação queremos sobretudo promover e dar a conhecer o projeto da Caravana e angariar fundos para continuarmos!

No dia 26 de agosto 2017 contaremos com a presença e com os cozinhados feitos por alguns dos moradores dos bairros participantes da caravana!

Vai haver cachupa vegetariana da Ricardina (Bairro da Torre) a partir das 20h00.

Veja o evento na nossa página de facebook para mais informações.

Para facilitar a orgniazação do jantar, por favor, inscreve-te aqui.

Para uma habitação condigna para tod@s!

Slogan_1

#nossacasanossobairronossaluta

 

 

Carta Aberta: Morar em Lisboa

Para assinar e partilhar, cliqua aqui!

“AO GOVERNO, AOS DEPUTADOS, AO MUNICÍPIO, AOS CIDADÃOS!

É cada vez mais difícil morar em Lisboa. Ao longo dos últimos anos assistimos a uma alteração profunda das dinâmicas habitacionais nas áreas metropolitanas do país. Uma drástica subida dos valores do arrendamento de habitação que tem levado à expulsão de população das áreas mais centrais da cidade, em conjunção com uma queda abrupta da oferta e com um aumento exponencial dos valores para aquisição de casa própria, tornaram o acesso à habitação em Lisboa privilégio de poucos e direito praticamente inacessível às famílias portuguesas.

Nos últimos três/quatro anos, os preços da habitação para arrendamento aumentaram entre 13% e 36%, e para aquisição subiram até 46%, consoante as zonas da cidade, de que resulta, estima-se, uma taxa de esforço com a habitação situada entre 40% e 60% do rendimento familiar, quando os padrões comuns aconselham uma taxa de esforço até 30%.

Os Signatários, reunidos nesta Carta Aberta expressam a sua profunda preocupação com esta situação, fruto do processo de gentrificação, associado e acelerado pelo pico de projeção internacional e por uma grande intensificação do turismo e do alojamento para fins turísticos que Lisboa atravessa, com a consequente pressão e especulação fundiária e imobiliária.”

Continuar a ler